Se a Internet revolucionou a maneira de nos relacionarmos com o mundo, as redes sociais foram as responsáveis por disseminar ideias, conceitos e pensamentos rapidamente. Antigamente, uma fofoca levava horas e até dias para ser repassadas de forma eficiente. Hoje, isso ocorre em minutos.
Com certeza as redes sociais não foram criadas para disseminar o “mal”, mas atualmente é o que mais se vê. Mas como manter sua empresa, ou seus colaboradores, bem longe de encrencas virtuais? Seguindo algumas regras básicas de convivência que todos já aprendemos com nossos pais, em casa, de onde deve vir a educação.

Para uma empresa se posicionar publicamente a respeito de algum assunto, cujo tema seja polêmico, deve-se analisar as consequências a curto, médio e longo prazo. O bom e velho pensar antes de falar, ou melhor, digitar. É impossível perdoar o racismo exposto nas redes sociais por um funcionário, por exemplo. Por melhor que ele faça o seu trabalho, espalhar conceitos ultrapassados e criminosos denigra sua própria imagem, a da empresa que o emprega e até mesmo do produto, ou negócio, que ajude a vender.
Posições políticas também precisam ser avaliadas. O empresário pode perder milhares de clientes, apenas por se posicionar publicamente.

Negócios são negócios. Não se esqueça que a imagem de sua empresa pode ruir para sempre se utilizar a rede social como se fosse a mesa de um bar. O que cai na Internet fica para sempre lá.
Como diria a vovó, boa educação e bons sentimentos são como canja de galinha, não fazem mal a ninguém.

Tatiana Kinoshita
CEO 1Click Comunicação

Deixe seu comentário